Morte de modelo durante desfile na SPFW repercute fora do país

Tales Soares, de 25 anos, caiu na passarela durante o desfile da marca gaúcha Också , foi atendido por socorristas e levado ao hospital, mas não resistiu
Fonte: gauchazh
segunda-feira, 29 abril 2019 às 18:05

A morte do modelo Tales Soares, de 25 anos, durante um desfile da São Paulo Fashion Week (SPFW) no sábado (27), repercutiu também fora do Brasil. Jornais e revistas da Europa e Estados Unidos noticiaram o caso ocorrido em meio a uma das semanas de moda mais importantes do mundo.
Conhecido como Tales Cotta, o rapaz caiu na passarela quando desfilava para a marca gaúcha Också. Ele foi atendido por socorristas e levado ao hospital, mas não resistiu. 

Os britânicos The Guardian e The Sun descreveram o tombo de Tales e citam as especulações sobre o que poderia ter acontecido com o jovem. Já o Telegraph destacou o desfile da grife Ponto Firme, que ocorreu após a confirmação do óbito, em que modelos carregaram cartazes em que se lia a palavra "luto".

Adriano Ishibash / FramePhoto/Folhapress

Tales caiu na passarela e foi socorrido, mas não resistiu

A continuidade da programação da SPFW gerou polêmica e uma onda de críticas.  No domingo (28), a organização do evento emitiu uma nota justificando as decisões tomadas. Segundo o comunicado, Tales foi levado ao hospital com vida e não havia "indicação de que viria a falecer". 

No texto, a SPFW informou ainda que as quatro grifes que desfilaram após o tombo de Tales tinham a opção de cancelar as apresentações. Mas a equipe da estilista Flavia Aranha, que foi à passarela logo após o ocorrido, disse não ter sido informada de nada – nem mesmo da queda do modelo. 

"Eu não fazia ideia do que havia acontecido. Até quase uma hora após o término do nosso desfile. Se soubesse não teria desfilado. E sinto necessário tornar essa informação pública", desabafou ela em um post em seu Instagram.  

Tales era agenciado pela Base MGT e também desfilou para a grife Ratier na sexta-feira  (26). Segundo o responsável pela agência, Rogério Campaneli, os médicos do hospital que atenderam o rapaz suspeitam da existência de uma doença congênita. 
— Os médicos que conversaram com a gente falaram que quando o Tales caiu a morte cerebral já existia. Tentaram durante uma hora e 20 minutos a reanimação do coração. Mas o socorro não iria adiantar — disse Campaneli.

 Não foi divulgada qual seria a doença congênita. A mãe do jovem, Heloísa Cotta, disse que o filho tinha boa condição de saúde. 

Ainda de acordo com o agente do modelo, o Instituto Médico Legal (IML) informou que o caso foi registrado como morte súbita, e o laudo deve sair entre 60 e 90 dias. 

O corpo do modelo começou a ser velado na manhã desta segunda-feira (29) em Manhuaçu, no interior de Minas Gerais, onde nasceu. Tales nasceu em Manhuaçu e era formado em educação física. 

Publicado por Francisco Silva
Proprietário da web Rádio Amazônia Central, Acadêmico em sistemas de informação 8º período (1/2018) e Editor de imagens. WhatsApp (69) 9 9283-9969. CV: http://lattes.cnpq.br/4738070963523179

Veja também